N I T R O G Ê N I O

O uso de peças plásticas aumenta a cada dia, isso significa que os envolvidos no processo, sejam eles produtores de máquinas injetoras e moldes de injeção, produtores de resinas e outros, se deparam com um aumento da demanda de material, manufatura e equipamento de laboratório.

Assim, novas tecnologias para economia: matéria-prima, tempo de ciclo, índices de rejeição e obviamente, custos de produção são sempre bem-vindas, afinal o mercado é muito competitivo.

A idéia de se injetar um gás inerte a alta pressão através de um controlador de injeção surgiu nos anos 80. Injetando-se N2, num chamado "short-shot" - ciclo curto - é possível produzir peças plásticas com consideravelmente menores tempos de ciclo e índices de rejeição e menos resina do que o normalmente necessário. Esse advento permite que, na cavidade que não está 100% preenchida com resina, o material vai ser empurrado, e fechado pelo N2 por dentro.

As vantagens são:
1) A pressão de fechamento do molde é menor. A peça injetada é formada pela pressão do gás em seu interior. Como resultado, temos a diminuição do tempo do ciclo, que varia de 10 a 60%.
2) Como consequência, peças plásticas podem ser produzidas em injetores menores, com menor força de fechamento. Isso significa que, graças à tecnologia de injeção assistida (GIT - gas injection technology), novas oportunidades se abrem usando as mesmas máquinas.
3) Peças com design complicado, podem ser facilmente injetadas com a utilização de canais de gás nos pontos críticos de escoamento. Esse recurso reduz drastricamente o índice de rejeição de peças, chegando a 0%.
4) Dependendo do desenho do produto, o ganho com matéria-prima fica entre 3 e 5%.

Como o gás N2 entra na cavidade?
Basicamente, o processo segue dois princípios:

A injeção assistida por gás é um dos mais inovadores processos a se tornar disponível à indústria de moldes de injeção. É também um dos menos entendidos, pelo fato de ser relativamente uma novidade. Atualmente todo mundo conhece essa tecnologia, mas poucos realmente experimentaram seus benefícios até agora.

Quem realmente ganha nesse processo é o fabricante de moldes, que hoje em dia pode obter equipamento para injeção assistida a gás, junto com todo o know-how de nosso pessoal.

Posso integrar injeção assistida (GIT) na minha máquina?
Sim, pode-se implementar processos GTI no seu setup atual. Toda e qualquer máquina injetora está apta a receber um processo GIT, não sendo necessário novas injetoras. As modificações que se fazem necessárias são pequenas, como adicionar um bico para gás na linha de alimentação, e/ou usinagem de furos nos moldes.

Caso tenha outras dúvidas, sobre por exemplo que tipo de equipamento usar, entre em contato conosco.